top of page
Buscar

Produtor Rural - sua importância para o município de Clevelândia

25/05/2021

Repost 28/07/2021

Da Redação

Foto divulgação

O agronegócio compreende as atividades econômicas ligadas à agropecuária, ao manejo de florestas para comércio e serviços (silvicultura) e ao extrativismo vegetal. Esse termo foi criado na década de 1950, mas popularizou-se na década de 1970, no auge da Revolução Verde.


No dia em que comemoramos o Dia do Produtor Rural (25 de maio) e dia do agricultor (28 de julho), o Portal Meiga Terra aproveita a oportunidade para desmistificar e demonstrar a importância do agronegócio para Clevelândia, sempre presente e ativo, aquecendo a economia local, rendendo tributos, gerando milhares de empregos diretos e indiretos ao longo dos anos e da história de Clevelândia.


O senso comum costuma acreditar que o agronegócio está restrito a zonas rurais com suas lavouras e criações, contudo, a enorme variedade de setores envolvidos faz com que a atividade esteja presente e tenha uma influência significativa na economia do município.


O agronegócio é de fato um dos maiores responsáveis por toda riqueza gerada em Clevelândia, fazendo necessário surgir cada vez mais profissionais preparados para sua função. Porém, além das atividades desenvolvidas diretamente no campo, segundo definições compartilhadas pela Fundação Instituto de Administração (FIA), da Universidade de São Paulo (USP), o agronegócio vai muito alem do que é geralmente compreendido e é possível dividi-lo em três níveis principais:

1. primário - No qual estão incluídos produtores rurais, agricultores e pecuaristas;

2. secundário - Que engloba agroindústrias e produtores de insumos;

3. terciário - Que inclui cadeia de distribuição e comércio, até mesmo exportações.


Em cada um desses níveis, é possível encontrar uma infinidade de setores, e não há limitações exatas, já que essas divisões podem ser diferentes para cada especialista ou entidade e muitos negócios englobam mais de uma atividade.


Naturalmente, cada um desses setores necessita de uma cadeia produtiva completa para que o resultado de seu trabalho vá do campo ao consumidor final, e isso resulta numa soma enorme de benefícios para a economia local, quando observadas algumas etapas da cadeia produtiva que engloba tanto os bens de produção (matéria-prima), bens de capital (equipamentos e bens necessários para a produção de outros bens ou serviços) quanto os bens de consumo (adquiridos pelo consumidor final).


Clevelândia (dados de maio de 2021)

Como culturas de maior destaque no agronegócio em Clevelândia podemos citar o plantio de grãos que, por uma larga margem, é o carro-chefe desse mercado, com a soja ocupando o primeiro lugar com produção atual de 1.721.000 sacas, vale ainda citar que a semente de soja produzida em nosso município merece destaque pela sua ótima qualidade.


O milho ocupa a segunda posição nesse setor, com produção atual de 386.600 sacas. Além dos setores destacados, indicadores demonstram outras importantes culturas produzidas em solo clevelandense como: citros; feijão; florestal; hortifrúti; mandioca e trigo.


Foto divulgação

Já na pecuária, o bovino é o setor mais importante no nosso município, mantendo um rebanho de aproximadamente 12.000 cabeças, sendo que, aproximadamente 8.000 cabeças são de gado leiteiro e o restante é rebanho de corte.





No início da década de 2000, Clevelândia contava com aproximadamente 430 propriedades produtoras de leite, no entanto, uma série de fatores como a oscilação de preço, falta de sucessão familiar e necessidade de alto investimento em tecnologia foram alguns dos motivos que levaram, nos últimos anos, a uma significativa queda no número de produtores de leite.

Atualmente o município conta com 110 produtores com uma produção média 32.000 litros de leite ao dia.


Outros setores que merecem destaque são: suínos, com aproximadamente 19.500 animais divididos entre 310 produtores; ovinos com total aproximado de 3.700 animais divididos entre 191 produtores; equinos, com aproximadamente 580 animais divididos entre 276 produtores; caprinos, com aproximadamente 330 animais divididos entre 39 produtores.

Para atender ao setor, o município conta também com um abatedouro de bovino, um abatedouro de caprino e um abatedouro de suíno.


Além das grandes lavouras produtoras de grãos e dos grandes rebanhos, indicadores demonstram que atualmente 561 famílias movimentam o importante setor da agricultura de subsistência no município de Clevelândia.

Foto Divulgação

Como exemplo nesse setor, podemos citar o cultivo de morangos com uma produção aproximada de 16 toneladas divididos entre seis produtores, e o cultivo de uva com uma produção de aproximadamente 250 toneladas divididas entre 14 produtores.

Uma forte característica da agricultura de subsistência é a sua grande capacidade de diversificação de produtos.


Não é exagero afirmar que possuímos um potencial muito importante para o agronegócio, porém, estar preparado para atender essa demanda crescente, adotando boas práticas que permitam produzir mais, com melhor qualidade e gestão é essencial para os produtores que querem se destacar no mercado.


O agronegócio possui uma infinidade de setores relacionados, e a compreensão da cadeia produtiva de forma integrada permite a percepção de sua importância para a nossa economia, pois, geram impostos e empregos diretos e indiretos fomentando o comércio e indústria locais, criando oportunidades para produtores e empreendedores e movimentando a roda da nossa economia.


O agronegócio possui políticas capazes de reduzir a pobreza e a desigualdade, contribuindo para o cumprimento das metas econômicas e setoriais, estimulando o crescimento econômico sustentável e tornando nossa economia mais resiliente a todas as intempéries.


Fontes para construção do texto:

Secretaria de Agricultura de Clevelândia;

IDR - Instituto De Desenvolvimento Rural do Paraná;

ADAPAR - Agência de Defesa Agropecuária do Paraná.

Comments


bottom of page