DESTAQUES

Conheça as personalidades e instituições que pela relevância de suas ações escreveram e escrevem  seus nomes na história de nossa comunidade.

MEIGA TERRA

Bons_negócios-min.png
 

Aurio Inocencio

Fevereiro de 2019.

Aurio Inocencio nasceu em Palmas – PR, no dia 24 de outubro de 1929. Filho de Emanuel Inocencio e Antonia Jaira de Siqueira Inocencio, ambos natural de Palmas. Tinha 10 irmãos, e mudou-se ainda pequeno com a família para Clevelândia, com apenas seis anos de idade.

 

Aurio estudou até o primário no antigo Grupo Escolar de Clevelândia. Ao longo de sua vida exerceu várias funções como: eletricista; pintor; carpinteiro e por um longo período trabalhou como veterinário. 

Por 25 anos foi ministro da igreja católica, responsável pela decoração do presépio da igreja, o qual fazia com recursos próprios. Levantava cedo todos os domingos para abrir a igreja, arrumava o altar, preparava e organizava a igreja para a realização da missa. Como ministro, levava a hóstia nas casas das pessoas que se encontravam enfermas. 

Em 29 de outubro de 1949, aos 21 anos, casou-se com Thereza da Glória Innocêncio (dona Tetê), o casal teve cinco filhos: Sergio Tadeu Inocencio; Irineia Aparecida Vargas; Cláudio Francisco Inocencio; Fátima Terezinha Inocencio e Célio Geraldo Inocencio. Os filhos lhes deram netos, bisnetos e uma tataraneta.

Bodas de Ouro. Comemoração dos 50 anos de casados.

Nos anos 2000, Aurio iniciou seus trabalhos voluntários, por 11 anos recolheu materiais recicláveis para a venda, com o dinheiro arrecadado ajudava nas festividades natalinas das crianças na creche Santo Antonio Maria Claret. Por um longo período arrecadou brinquedos para  doação nos bairros carentes de Clevelândia, deixando o Natal de muitas crianças mais feliz.

Ainda nos anos 2000, Aurio começou a colecionar peças antigas, algumas doadas, outras herdadas e várias compradas. O “pequeno” museu reúne mais de mil peças, algumas com mais de 100 anos, vindas de outros Estados e até de outro país, como um telefone original da França. Com muito afeto e paciência, Aurio proporcionou aos moradores de Clevelândia reviver o passado e admirar a história de outros séculos. O seu acervo pessoal, instalado em sua casa, já recebeu visitas de crianças das escolas municipais e vários munícipes.

 

Em 2012, foi homenageado pelo Lions Clube de Clevelândia e pela Administração Municipal, nos 120 anos do município, pela contribuição na construção da história de Clevelândia.

 

Ajuda assistencial nos bairros de Clevelândia

Aurio sempre envolvido nos trabalhos sociais 

entrega de brinquedos para as crianças

Para a família e amigos, Aurio deixou seu legado de bondade e solidariedade em ajudar ao próximo. Ele faleceu em Clevelândia por causas naturais, no dia 20 de outubro de 2018, aos 88 anos, no dia em que completava 68 anos de casado. 

Algumas peças do seu acervo pessoal de antiguidades

 

Fevereiro de 2019.

Eduardo Friesen

Eduardo Friesen nasceu em Curitiba - PR, no dia 24 de abril de 1939. Filho mais velho de Pedro Friesen, nascido na antiga União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS) e de Ana Kornilsen, nascida na Russia. Eduardo foi um grande líder espiritual na comunidade clevelandense, dedicado à obra do evangelho.

Viveu sua infância e começo da adolescência em Curitiba, onde estudou até o antigo ginásio, no Colégio Bom Jesus.  Aos 14 anos, Eduardo, seus pais e seu irmão mais novo, Haroldo Friesen, mudaram-se para Bagé - RS, onde passaram a plantar trigo na colônia, hoje conhecida como Aceguá. Eduardo continuou seus estudos no colégio interno de Padres, na cidade de Bagé.

Após alguns anos de colheita frustrada, no início dos anos 50, seus pais resolveram mudar-se para Clevelândia, onde seu pai, Pedro Friesen, começou a puxar gado para o Rio Grande do Sul. Sua mãe Ana e seus dois filhos começaram uma leiteria, comercializando leite para o município de Clevelândia.    

Em 1961, Eduardo Friesen iniciou os seus estudos no Instituto Bíblico Paranaense, onde estudou por três anos até se formar e ser ordenado pastor. Em 28 de novembro de 1963, aos 24 anos, casou-se com Catarina Ott Friesen (Kathi), na cidade de Piraquara - PR. Em 1964, assumindo os trabalhos de pastor, mudou-se para São Mateus do Sul – PR, para pastorear a Igreja Irmãos Menonitas.

Os pais Pedro e Ana com os Filhos Eduardo e Haroldo.

Família Friesen nas viagens de charrete.

Em 1965, Pastor Eduardo e sua esposa voltaram para Clevelândia. Em 1966 nasceu a primeira filha do casal, Lizete Irene Friesen. No final de 1967, foi convidado para pastorear a igreja Irmãos Menonitas de Francisco Beltrão, onde em 1971 nasceu o segundo filho do casal, Silas Hildor Friesen. Os filhos lhes deram quatro netos.

Em 1978 voltou para Clevelândia, quando organizou durante seu pastorado, juntamente com a prefeitura municipal, uma sociedade beneficente, com uma pré-escola que funcionava junto à igreja Irmãos Menonitas. Também foi responsável pela organização das Escolas Bíblicas de Férias (EBFs), as quais envolviam atividades bíblicas e bincadeiras entre as crianças no período das férias escolares. Atividades que duraram aproximadamente 10 anos.

Formado em contabilidade, pastor Eduardo trabalhou na secretaria do hospital Dr. Arizone, em Francisco Beltrão. Foi presidente e tesoureiro da Convenção Brasileira Igrejas Evangélicas (COBIM). Também foi um dos responsáveis pela fundação da congregação dos Irmãos Menonitas de Chapecó – SC.

Momento da formatura de pastor.

Em 1963, casou-se com Catarina.

Pastor Eduardo, esposa Kathi e filhos Lizete e Silas

Nos anos 2000, Eduardo e a esposa Kathi retornaram para Clevelândia.

Pelos seus trabalhos sociais e evangelísticos dedicados a comunidade clevelandense no decorrer de sua vida, recebeu homenagens do Lions Clube, dos Tropeiros e Câmara de Vereadores pala distinção, reconhecimento e participação ativa no município . 

Homenagem realizada pela Câmara de vereadores e Administração Municipal em 2014.

Venda de Bíblias pelo Pastor Eduardo em uma feira de exposições.

Pastor Eduardo dedicou sua vida em espalhar as boas novas de Jesus Cristo, apaixonado pelas almas, atencioso com suas ovelhas, trabalhou incansavelmente até os dias em que adoeceu. Deus o chamou para glória no dia 17 de outubro de 2014. Faleceu na cidade de Clevelândia, no hospital e Maternidade São Sebastião aos 75 anos.

 

Agosto de 2020

José Guerreiro de Paula

José Guerreiro de Paula nasceu no dia 20 de setembro de 1928, na cidade de Lageado Liso, hoje Sapopema, no Paraná, fazendo parte de uma família de 15 irmãos. Filho de Messias Prestes De Paula e Dorvalina Guerreiro De Paula.  José Guerreiro foi uma figura reputada na comunidade clevelandense pelos seus trabalhos e grandes amizades.

Ainda muito jovem, quando cursava o 4º ano primário, estava sendo inaugurada a estrada do Cerne (de Curitiba a Londrina), na Ponte do Rio Lageado Liso, foi recebida a visita do Interventor Manuel Ribas, onde o aluno José Guerreiro fez o discurso ao Interventor. Manuel Ribas ficou muito surpreso e deu um cartão ao menino José, e disse: - “se quiser estudar procure-me em Curitiba no Palácio de São Francisco”.

Foi então que no ano de 1944 iniciou seus estudos sob o convite e ajuda do Interventor Manuel Ribas, sendo matriculado no colégio Estadual do Paraná, no exame de admissão, foi aprovado em 2º lugar, concluindo o ginásio e científico. Em 1951, prestou vestibular na Universidade Federal do Paraná para agronomia, sendo aprovado em 5º lugar. E em 1954, concluiu seus estudos com méritos.

Formatura de agronomia faculdade federal do Paraná

Foi nomeado Engenheiro Agrônomo do Estado, trabalhando na Secretaria da Agricultura onde já era funcionário desde 1951. No ano de 1955, foi designado diretor substituto das Escolas de Trabalhadores Rurais para atuação nas cidades de Ponta Grossa e Castro. 

Mas foi na cidade de Cerro Azul, interior do Paraná, onde José Guerreiro conheceu sua futura esposa, dona Déa Bassetti de Paula. Guerreiro era ainda jovem e estudante da Universidade Federal de Agronomia. Casaram-se no dia 28 de julho de 1956, na Cidade de São José dos Pinhais, completando 63 anos de matrimônio, tiveram quatro filhos: Flávio, Marisol, José Filho e Franceliz. Seis netos e bisnetos.

José Guerreiro e dona Déa.

CEEP Assis Brasil

Sua vinda para Clevelândia foi em 21 de fevereiro de 1956, motivado por receber do Departamento de Ensino Agrícola e Profissional da Secretaria de Estado da Agricultura a incumbência de colocar em funcionamento a Escola Rural no município (recém inaugurada), atual Centro Estadual Educação Profissional Assis Brasil, onde foi diretor por 25 anos. Neste tempo, criou a “Festa do Pinho” no Colégio agrícola, com visitas de estudantes de toda a região, a Bandinha do Colégio, entre outros feitos.   

O Ginásio de Esportes do Colégio Agrícola recebeu o nome como homenagem a José Guerreiro.

Em 1957, juntamente com Frei Cássio e demais voluntários, fundaram o Ginásio Estadual São Luis, hoje colégio Estadual João XXIII. Em 1969, foi eleito 25º prefeito de Clevelândia, período em que trouxe à cidade, muitas melhorias, colocando o município em destaque. O homem que gostava de versos e prosa fez uma pequena alteração no Hino de Clevelândia, incluindo a frase: “quando ao longe te avisto sorrindo, minha alma alegre conduz, minhas preces à Mãe Padroeira, Virgem Santa Senhora da Luz.”
 

José Guerreiro de Paula, além de engenheiro agrônomo, também foi professor de matemática nos Colégios São Luiz de Clevelandia, Colégio Agrícola Assis Brasil e no Colégio Bom Jesus de Palmas. Formado em Matemática pela Faculdade de Guarapuava em 1975. Sócio fundador do Lions Clube de Clevelândia.

 

 No ano de 2019, aos 91 anos, José Guerreiro de Paula deixou família e amigos, falecendo no município de Clevelândia, onde realizou seus feitos e deixou gravado o nome na história clevelandense. Em setembro de 2020, Dona Déa faleceu em Curitiba. Uma mulher carismática e gentil, que no seu legado deixará eternas recordações.  

José Guerreiro e Dona Déa, 63 anos de união.

Filho Flávio Augusto Bassetti de Paula (in memoriam)

Filha Franceliz, esposo Fabrício Luiz Zeni e o filho Felipe. 

José Guerreiro de Paula Filho e sua esposa Acioni Janes Dalla Cort de Paula

Netos e bisnetos de José Guerreiro de Paula - descendentes de José G de Paula Filho: 

- José Guerreiro de Paula Neto e sua noiva Renata Brandalize;

- Marcelo Serafim Guerreiro de Paula e sua esposa Giliane e filhos Tauane e José Antônio;

- Verônica Camargo de Paula e seu esposo Maycon Henrique D'agostini, filha Valentina;

- Denize Dalla Cort de Paula;

- Vagner Ferreira e sua esposa Claudia Ferreira com os filhos Thomas Herick, João Miguel e Vicente.

 

Fevereiro de 2019.

Zenon Siqueira de Arruda

Zenon Siqueira de Arruda, natural de Clevelândia - PR, nasceu no dia 15 de maio de 1922. Filho mais velho de Jonas Aires de Arruda, também natural de Clevelândia e de Maria de Siqueira Arruda, natural de Guarapuava. Sua irmã mais nova, Zilah Arruda Terres, faleceu em Curitiba no ano de 2019 aos 92 anos. Também conhecido como Dedé, ou Papa de Clevelândia, Zenon foi uma figura conhecida e querida na comunidade clevelandense. 

Recordação da infância, grupo escolar em 1936.

Estudou até a quarta série do curso primário do antigo Grupo Escolar de Clevelândia. Ao longo de sua vida exerceu várias funções como: engraxate (aos oito anos de idade); celeiro; sapateiro; retalhador de telhas; pintor de casas; cuidador de cavalos e vaca leiteira e comerciante. Até que em 02 de janeiro de 1945 foi nomeado tesoureiro da prefeitura municipal de Clevelândia, e como funcionário público serviu o município por 38 anos. Até aposentar-se aos 61 anos de idade.    

Zenon e demais funcionários municipais na antiga prefeitura.

Em 20 de dezembro de 1948, aos 26 anos, casou-se com Terezinha da Aparecida Stahlschmidt de Arruda. O casal teve dois filhos, Tehany Arruda  (1950-1998), falecida em acidente de carro; e Ubiraci de Jesus Stahlschmidt Arruda. Tendo ainda a adotiva Claudete Aguirre Daeuble. Os três filhos lhes deram seis netos e cinco bisnetos.  

Desportista, Zenon jogou futebol até os 62 anos de idade, sendo ele o fundador de um dos primeiros times de futebol em Clevelândia. O Botafogo, fundado em 1934, quando Zenon tinha 12 anos de idade. Mais tarde, com a fusão de alguns times foi fundado o TABU Esporte Clube. Além do esporte, Zenon também era ligado à música, tocava pistão, cavaquinho, cantava, era seresteiro, gostava de carnaval, tocou em muitos carnavais, festas religiosas, casamentos, em algumas ocasiões chegou a se apresentar fora do Brasil como Argentina e Paraguai.

30 julho de 1942 - Da esquerda: Zenon Arruda (o 2º e tocando pistão), Nirval Branco de Miranda (o terceiro e ao fundo), Mozart Rocha Loures (o sexto e tocando violão).  

Casa Arruda. Campeonato Municipal em 1993.

Zenon, por muitas vezes foi convidado pelas escolas para relatar aos alunos sobre as histórias de Clevelândia, a batalha de 1925, sobre a tentativa de invasão da cidade por destacamentos da Coluna Prestes e demais fatos que contribuíram para nossa história. Sempre bem-humorado, amigo de todos conhecia muito sobre o município. 

 

Zenon faleceu em Clevelândia, no dia 19 de março de 2018, aos 95 anos. Ele foi enterrado com uma bandeira do Tabu. No dia 13 de novembro de 2020, dona Tereza, a mulher alegre, forte e sempre disposta deixou amigos e familiares, foi enterrada no município de Clevelândia.  

Zenon e Tereza em 31 de outubro de 1948 quando ainda eram noivos.

Os filhos, Tehany Arruda e Ubiraci Stahlschmidt Arruda.

Fevereiro de 2019

     JUAD     

O JUAD (Juniores e Adolescentes) é um Ministério Internacional sem fins lucrativos, fundado em 20 de março de 1994 na cidade de Novo Hamburgo no Rio Grande do Sul. Atua em 05 países: Brasil, Angola, África do Sul, Moçambique e Bolívia. E 07 Estados brasileiros: Pará, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, contando com 74 bases. Essa organização visa implantar conceito de cidadania através de atividades criativas, inovadoras e diferenciadas, treinando futuros líderes para a nossa sociedade. 

Uma das primeiras atividade realizadas na base de Clevelândia.

Base JUAD em Clevelândia

A base JUAD de Clevelândia é um ministério da igreja Irmãos Menonitas  e foi fundado no dia 04 de setembro de 2016, tendo como fundadores: Pastor Carlos Alberto Ferst; chefes funcionais Hamilton Alves e Edinéia Geminiano Alves; secretário Jôni Leite; líderes: Ester Maia; Amanda Friesen; Bruna Riboli; Andrei Maia e Silva; Glauber Garcia; Jaqueliny Maia e Silva; Karolaine Pereira; Soeli Santos; Kauana Pereira; Leonardo Leite; Thales Campos; Camily Dietrich e Loidi Ferst. Hoje, outros líderes integram o quadro de colaboradores.

Primeira Cerimônia Oficial realizada em 04 de setembro de 2016

Atividades Desenvolvidas

Através do método de ensino por divisas, as atividades buscam desenvolver caráter e cidadania, por meio de atividades divertidas, intensas e marcantes como: acampamentos, passeios, atividade em classe, viagens, passa noites, brincadeiras lúdicas entre outras.

Para Participar

Todas as crianças a partir de 07 anos e adolescentes até 17 anos podem participar. O JUAD é um grupo aberto não importando nível social, religião, raça ou cor. Para ingressar no grupo é necessário procurar a base local, inscrever-se e passar a fazer parte do programa.

 

Colaboração

Por ser uma organização sem fins lucrativos, qualquer forma de contribuição é muito importante para o ministério.

Pessoas interessadas em colaborar podem entrar em contato através do fone/whats:

(46) 98815 7740. 

Para conhecer mais a respeito do ministério acesse nossas redes sociais: Facebook JUAD Clevelândia ou instagram @juad.clevelandia.

Atual liderança Ministério JUAD.

 

   Lar da 3ª Idade João Paulo II   

Fevereiro de 2019

O Lar da 3ª Idade João Paulo II, é uma entidade sem fins lucrativos, de caráter filantrópico fundado em Clevelândia no dia 24 abril de 2007.

Atividades Desenvolvidas

Alguns idosos participam do Curso de Inclusão Digital para idosos, disponibilizado através de uma parceria da Faculdade FAMA com o CRAS de nossa cidade. Participam do projeto: Convivência e Fortalecimento de Vínculos, Projeto Idosos Unidos e BPC em ação: com aulas de artesanato e coordenação psicossocial com acompanhamento e orientações das técnicas do CRAS, através da assistente social, psicóloga e supervisão da pedagoga do serviço.

 

Uma vez acolhidos no Lar, os idosos recebem apoio e amparo, tais como: atendimento médico, odontológico e fisioterapêutico, além de alimentação adequada acompanhada por nutricionista, cuidados com higiene, alojamento e lazer. O atendimento médico é feito através do SUS com visita domiciliar pelo médico do PSF, ou de acordo com a necessidade é levado ao Pronto Atendimento, sendo o transporte feito através de ambulância, SAMU e outros veículos disponibilizados pela Rede de Saúde Pública.

 

Além de atendimento fisioterapêutico, praticam caminhadas e exercícios em alguns equipamentos de academia instalados na praça próximo ao Lar. Recebem visita das igrejas, através dos Padres, Ministros, Pastores e demais pessoas, grupos e movimentos da nossa comunidade.

 

Atendimentos

Atualmente, a entidade conta com 34 asilados, sendo 10 do sexo feminino e 24 masculino, com idade superior a 60 anos, vindos de Clevelândia e demais cidades da região. Desde o inicio da atual administração (08/2009) foram atendidas aproximadamente 156 pessoas.

Colaboradores

O quadro de funcionários é composto de 11 pessoas, sendo: uma cozinheira e uma auxiliar, uma enfermeira, uma técnica em enfermagem, cinco cuidadoras de idosos (turnos), uma servente e um auxiliar, Além das funcionárias, o Lar possui prestadores de serviços: um fisioterapeuta, uma nutricionista, uma coordenadora e um médico voluntário.

Manutenção e Colaboração

O Lar é mantido principalmente com o valor do benefício do INSS e Amparo Social de cada asilado no valor de um salário mínimo mensal, cujo montante fica aquém das necessidades. Recebe doação financeira, de alimentos, roupas, material de higiene, limpeza e fraldas. Os medicamentos são fornecidos pela rede pública de saúde, com exceção de alguns que se torna necessário comprar.

 

Em nome de cada idoso, deixamos o convite para todos aqueles que ainda não conhecem o Lar e que tenham interesse, para que façam uma visita.

 

Fevereiro de 2019

   Pastoral da Criança   

A organização Pastoral da Criança surgiu no Brasil no ano de 1983, fundada pela médica e sanitarista Doutora Zilda Arns Neumann.O projeto teve seu inicio na paróquia São João Batista em 1983, na cidade de Florestópolis, arquidiocese de Londrina, no Paraná. Escolhida esta localidade pela Pastoral da Criança, por que nela era constatada uma alta taxa de mortalidade infantil.

Essa organização está presente na América Latina e na América Central; Argentina, Bolivia, Colômbia, Paraguai, Uruguai, Peru, Venezuela, Guatemala, Panamá, República Dominicana, Haiti e México. África: Guiné Bissau e Moçambique e na Ásia: Filipinas.

Está presente em mais de 30.000 comunidades, ligada a 7.000 paróquias das 272 Dioceses e prelazias do Brasil. Aproximadamente 260.000 voluntários se empenham em contribuir para o crescimento qualitativo de pelo menos 1,8 milhões de crianças na faixa de 0 a 6 anos, cerca de 94.000 mulheres grávidas integrantes de 42.000 grupos de famílias carentes em cerca de 4.066 cidades por todo o país.

Zilda Arns Neumann

Em Clevelândia, a Pastoral da Criança foi fundada em 10 de Agosto de 1994, pelo Padre Eugênio Pessato, ir. Bernardino Faleato, Maria Andrade, Apolônia Zarenski e Deise Marques. Atualmente a Pastoral de Clevelândia assiste aproximadamente 360 crianças de 0 a 6 anos e 42 gestantes, contando com trabalho voluntário de 30 lideres e apoiadores. A Pastoral da Criança é uma entidade social ligada a comissão episcopal para o serviço da caridade, da justiça e da paz. Ela exercita práticas referentes à saúde, alimentação, educação a cidadania e a espiritualidade da faixa infantil que compõe os grupos mais necessitados.

 Atividades desenvolvidas

 

As tarefas desenvolvidas pela Pastoral da Criança tem como objetivo atender as crianças carentes desde o momento da gestação até os 6 anos de idade. Zelando por uma existência qualitativa e pelo congresso pessoal de cada uma. As famílias também são assistidas em suas necessidades na melhoria de suas condições, na compreensão de seus direitos e obrigações na erradicação da violência dentro do lar.  A assistência a comunidade é de natureza ecumênica, sempre com a bandeira da prática, do amor, da fraternidade e da paz. A intenção é sustentar também moralmente os membros da família carente para que elas possam melhor resolver suas dificuldades. "Para que todas as crianças tenham vida e tenham vida em abundância".

Colaboradores

 

Todas as pessoas que sentem o chamado por essa missão em dedicar parte de seu tempo para as pessoas mais necessitados na nossa comunidade podem participar.

 

As pessoas que queiram colaborar com a Pastoral da Criança, com trabalho voluntário ou com doações financeiras, devem nos procurar na sede da Pastoral da Criança, ao lado da Igreja dos Remédios, no Bairro Vila Operária, na parte da tarde, ou também na Paróquia Nossa Senhora da Luz, no centro da cidade de Clevelândia - Pr.

 

INDIQUE PESSOAS PARA ESTA GALERIA

Imagem3.jpg

 AMIGOS DA

 NOSSA CULTURA